Phone: E-mail: contato@myriamdurante.com.br
Português - Brasil Inglês Espanhol
Press

10 February 2015

Celular é a causa da má qualidade do sono de jovens

Em 30/01/2015 o Projeto Onda Jovem publicou a matéria "Celular é a causa da má qualidade do sono dos jovens", citando a psicoterapeuta holística e hipnóloga Myriam Durante e o IPOM - Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente. Confira:

Rio - Companheiro de todas as horas durante o dia, o celular é inimigo dos jovens à noite. Sempre conectados, adolescentes atrasam seu sono usando o aparelho, o que traz dificuldade de aprendizado e alterações de comportamento. A longo prazo, dormir mal é porta de entrada para doenças, como gripes e resfriados.

O alerta vem de sondagem feita pelo Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (Ipom), com 1.830 jovens brasileiros de baixa renda que estudam e trabalham. Ao todo, 88% classificaram seu sono como ruim ou insatisfatório e 43% dormem somente de três a cinco horas por noite.

Para Myriam Durante, presidente do Ipom, o problema afeta todas as classes sociais e surge da ativação do cérebro provocada pelo celular. “Interagir com o aparelho deixa a pessoa elétrica e sem vontade de dormir”, comenta a psicoterapeuta.

E nem quando dorme o jovem tem descanso, pois 82% dos voluntários mantêm o celular perto do travesseiro. “Ao ouvir um toque, o cérebro se prepara para atender, o que impede que a pessoa entre no sono reparador”, aponta.

O sono de baixa qualidade traz problemas sérios. Além de mau humor e desatenção em sala de aula no dia seguinte, o crescimento do jovem, que ocorre durante a noite, pode ser inibido e doenças oportunistas se instalam pela redução da imunidade. “A obesidade também é comum, pois os horários são desregrados”, diz Myriam.

Limites são necessários

Enquanto boa parte dos casos de insônia em adultos são tratados com uso de medicamentos, a psicoterapeuta Myriam Durante garante que a falta de sono entre os jovens deve ser combatida apenas com a conscientização deles.

Segundo a especialista, o que os adolescentes precisam é limites impostos aos seus horários. “O medicamento é um caminho sem volta, pois o corpo vai passar a exigir o remédio para dormir”, aponta ela.

Além de abandonar o celular e ajustar a hora de dormir, a psicoterapeuta dá outros conselhos essenciais para os jovens insones. “O ideal é fazer atividade física regular e trabalhar a respiração. Ajuda médica é possível, mas apenas para acompanhamento”, diz.

Clique aqui e confira a matéria na íntegra