Phone: E-mail: contato@myriamdurante.com.br
Português - Brasil Inglês Espanhol
Press

08 March 2014

Você...só que melhor

Em março de 2014, Myriam Durante participou da edição da Revista Máxima – com o tema: "Você... só que melhor."

Você... só que melhor

Sim, dá para ser mais feliz, confiante e serena. E nem é preciso se reinventar totalmente - basta ajustar o modo como reage às emoções. Vamos lá, comande a sua vida!               

Muita gente não costuma dar bola para os próprios sentimentos. Por outro lado, há quem seja visceral, do tipo que deixa as emoções dominarem, se esquecendo completamente da razão. Como tudo na vida pede equilíbrio, o melhor é optar sempre pelo caminho do meio. Faça o teste a seguir e descubra o que você precisa mudar para lidar melhor com os seus sentimentos. As perguntas devem ser respondidas de forma verdadeira e intuitiva, sem que você precise pensar demais.

1.Quando está triste, você...
A – Rapidamente engrena uma atividade para distrair a cabeça e não permitir que esse incômodo cresça
B -  Entrega-se ao sentimento, ouve uma música triste e percebe que fica mais angustiada a cada momento
C – Reflete sobre o que está sentindo e as razões que levaram a isso e, em seguida, busca algo produtivo para fazer

2. Você recebe a notícia de que um parente querido faleceu. Como reage?
A – Faz uma lista das providências que precisa tomar, depois ingere um calmante para dormir
B -  Experimenta uma mistura de sentimentos dolorosos, incluindo o pânico
C – reconhece que enfrenta um momento difícil e pede o suporte de uma pessoa de confiança

3. A atendente de uma loja se recusa a trocar uma peça que você comprou, mesmo com a etiqueta e o cupom fiscal. O que você faz?
A -  Fica chateada, mas sem insistir, se desculpa com a moça e sai da loja para encerrar o assunto
B – Perde a calma, aumenta o tom da voz e esbraveja sobre seus direitos. Horas depois do incidente ainda fica bufando de raiva
C – Pergunta educadamente se pode falar com o gerente para explicar a situação. Em paralelo, já vai pensando em soluções, como presentear uma amiga, vender o item na internet...
4. Durante uma conversa, a sua irmã exagera nas palavras e acaba ferindo os seus sentimentos. Então...
A -  Mesmo muito chateada você não a confronta e deixa para lá. Ela não deve ter tido a intenção
B -  Despeja toda a sua raiva na hora, para que fique claro como ela a ofendeu. Além disse aproveita para destacar pontos negativos sobre sua irmã
C – Espera algum tempo para amenizar o calor das emoções e depois liga para ela, dizendo como se sentiu mal

5. Você vai passar algumas horas sozinha em casa, por isso...
A – Liga a TV, o rádio, às vezes até os dois aparelhos ao mesmo tempo. O silêncio e a calmaria a incomodam
B -  Começa a pensar na roupa para lavar, nos e-mails que precisa responder...Assim, fica tão tensa que mal consegue tirar proveito dos momentos para relaxar
C -  Aproveita para finalizar tarefas da casa e pessoais, já que o seu tempo renderá mais. Porém, guarda uns minutinhos para curtir a calmaria...

6. Você acorda de madrugada tensa com a reunião que terá na empresa logo cedo. O que faz?
A -   Vira para o lado e volta a dormir. Afinal o que posso fazer por mim a uma hora dessas, né?
B -  Passa um tempão olhando para o teto e para o despertador, completamente irritada com o fato de não conseguir desligar a mente
C -  Tenta relaxar outra vez e coloca o relógio para despertar um pouco mais cedo. Assim dá para fazer tudo com mais calma e revisar a apresentação antes de sair

RESULTADO

Deixe fluir as emoções (PARA MAIS ALTERNATIVAS A)
Por medo de sofrer ou ter que confrontar as pessoas e desagradá-las, você adota uma postura de esquiva, sempre desviando e reprimindo o que sente.  Se por um lado a tática pode protegê-la, por outro impede que você se desenvolva mais como pessoa. Em vez de bloquear as suas emoções, experimente este exercício: da próxima vez que souber que uma situação que considera complicada está se aproximando, pare e tente imaginar o desenrolar dela. É a conversa séria com aquela amiga que a preocupa? Vá criando imagens mentais desde o momento da sua chegada, passando pelos cumprimentos, até a abordagem do assunto delicado. Você sentirá a ansiedade aumentar à medida que for avançando, mas aos poucos, irá se acalmar e criar mais confiança para atuar quando o cenário se apresentar na vida real. “tenha em mente que esse não é o momento mais ou menos importante da sua vida. É só um instante a ser a ser vivido e experimentado. Então, deixe fluir!”, orienta Eduardo Shinyashiki*, expert em comportamento (SP).
Outra dica é não desperdiçar os momentos nos quais estiver sozinha. Quando o que está a nossa volta se cala, a voz interior se manifesta. “Não tenha medo de ficar na sua própria companhia nem na dos seus pensamentos. Autoconhecimento é a chave da realização, então se descubra”, completa a psicoterapeuta Myriam Durante** (SP).

Desintoxique a alma (PARA MAIS ALTERNATIVAS B)

Parece que você se descontrola facilmente e quando está nervosa quer que o mundo todo saiba da sua desaprovação. No entanto, ao perceber que que o estardalhaço não adiantou, sente frustrada e envergonhada. Para que esse ciclo de emoções negativas não se estabeleça, desacelere! Quem foi que disse que você precisa responder imediatamente a tudo o que acontece? “Pesquisas apontam que o estímulo da raiva dura apenas 90 segundos no organismo. Portanto, se conseguir passar por esse período sem xingar ou emitir um julgamento, logo poderá ter uma percepção pacífica e equilibrada da situação”, afirma Eduardo. Difícil? Tente tirar o foco do outro e trazê-lo para você, ao menos durante esse um minuto e meio. Preste atenção na sua respiração, por exemplo. Evite também remoer os sentimentos negativos após o evento desagradável. “Tem gente que se queixa tanto que isso vira um hábito, intoxica as emoções, o humor.... Há quem se condiciona a pensar positivo, ver o lado bom das situações e evoluir. Escolha a pessoa que você quer ser, pense e aja como ela”, diz Myriam.

Continue no autocontrole (PARA MAIS RESPOSTAS C)

Uau, você sabe lidar com as emoções! Entende que, se algo a chateia, vale a pena refletir sobre a intensidade desse sentimento, os motivos que o sustentam e o que você pode fazer para se sentir melhor. Sabe também que crises e problemas devem ter um prazo de validade. Assim, tenta solucioná-los da melhor forma, aprendendo com a experiência. Também nota que precisa seguir a diante, dando a oportunidade para que venham novas vivências e lições. É claro que ninguém é perfeito e você também tem os seus dias de descontrole, mas tudo bem! O importante é se propor a melhorar sempre, se conhecer cada vez mais. Só olhando constantemente para dentro de nós mesmas é que descobrimos o que queremos e, sobretudo, o que não desejamos para a nossa vida. E só tendo essas respostas é que a gente pode colocar esses desejos em prática.


O caminho da mudança
Alterar padrões de comportamento exige comprometimento, mas os resultados são compensadores. Confira algumas dicas que vão ajuda-la nessa empreitada

Entenda que você é a responsável pela sua felicidade. Por isso, evite passar a bola para os outros com ideias do tipo “serei feliz quando encontrar um amo”. Você deve estar bem consigo mesma para se relacionar, precisa se dedicar para achar um trabalho... Depende de você!
Ensine as pessoas como elas devem trata-la. Isso tem a ver com reciprocidade e a postura que você adota. Por exemplo, quem vai se sobrecarregando e passando a mensagem de que dá conta causa estranheza ao reclamar que está atarefada. Por isso, sinalize as suas necessidades e envolva as pessoas no seu dia a dia com respeito e empatia.
Livre-se das emoções tóxicas. Se algo a incomoda há tempos, vire a página! Uma boa tática é buscar uma solução eficaz mínima, ou seja, a coisa mais simples que você pode fazer para suprir a sua necessidade de resolução, sem criar mais problemas, Há várias formas de se ajudar: escrever uma carta para o seu ex-marido (mesmo sem nunca enviá-la), pedir perdão a alguém, cortar relações com quem lhe faz mal....
Troque o medo por atitude (quase sempre Funciona). Eduardo Shinyashiki faz uma boa comparação: “Quando estamos surfando e tememos demais uma determinada onda, a chance de cair é grande. Na vida é igual. Então surfe sem se preocupar”. A lição aqui é não transformar coisas que deveriam ser simples em gatilhos para a ansiedade excessiva.
Valide-se! As mulheres passam a vida tentando agradar a todos ao redor. “Mas quando questionadas sobre o que gostam, muitas vezes não sabem responder”, destaca Myriam. A dica é passar mais tempo consigo própria para obter essas respostas, alinhar as suas atitudes com os seus desejos e valores. Não vale a pena dizer “sim” para os outros se o preço for dizer “não” para você mesma.